Black Diamond: Camalot C4

publicado na climbing.com pela equipe interna

A Escolha dos escaladores entre os melhores móveis disponíveis

Eles não foram os primeiros. Eles não são os mais leves. Eles não são os mais novos. Mas as vezes ser o melhor não trata-se dessas coisas. E nossos números não mentem: O Camalot C4 foram votados unanimemente por nossos especialistas como o melhor móvel de tamanho mediano. “Todo mundo sabe que tamanhos correspondem a cores, diferentemente de outras marcas” um apaixonado comentou. “A maioria dos escaladores utilizam o Camalot C4.” Projetado por Tony Christianson, Julio Varela e Honk Kyu Kwak em meados dos anos 80, o Camalot tinha uma vantagem especifica sobre os outros móveis em formato com duplo eixo, que aumentou a variação de tamanho de cada peça individualmente, traduzindo-se em uma mesma peça cabendo em ainda mais tamanhos de fendas.

A Chouinard Equipment, que se transformou em Black Diamond, começou a comercializar os Camalots (um nome escolhido entre várias sugestões entre os funcionários) no verão de 1987, e posteriormente lançaram mais três atualizações, Camalots ainda são os preferidos entre os escaladores de vias tradicionais. Camalots são fáceis, o gatilho funciona de forma suave, rápido de usar, segura melhor em alguns tipos de fendas e tanto os metais como os cabos de aço e as fitas duram mais tempo. Nós amamos os Aliens Flexíveis, Os Master Cams da Metolius e os inovadores Friends da Wild Country, mas os C4 tem uma melhor performance geral e durabilidade. Vinte e sete anos depois da primeira aparição, um escalador comentou que ele “ainda está em uma relação de amor com essas ferramentas do Batman para o mundo vertical”

Revisão: Petzl Tikka XP Headlamp

Publicado na climbing.com por Julie Ellisson

Longas aproximações, condições climáticas inóspitas e de rápidas variações pode mante-lo por mais tempo do que o esperado, por isso você deve sempre ter uma lanterna para a montanha. Com um peso suave e uma construção compacta porém robusta, a linha Tikka recém atualizada continua a ser o favorito entre escaladores e montanhistas. Nós gostamos do modelo XP por causa de suas três opções de configurações: ampla, dispersa ou longo e concentrado ou uma combinação de ambos. A configuração mais alta usa 160 lúmens e dispõe de tecnologia de iluminação constante, que mantém aceso e mantém um ritmo lento de consumo da bateria. A maioria das Head Lamps tem a vida útil não controlada, ou seja, quando a bateria acaba simplesmente apaga-se, enquanto que a Tikka entra automaticamente no modo reserva, onde há luz apenas o suficiente para terminar o que se esta fazendo, ou procurar as pilhas reservas. A fita é ergonomicamente projetada deixando-a confortável além de ser removível e lavável.

Revisão do Clássico: Black Diamond ATC – Guide

Há uma razão pelo qual você pode dizer apenas ATC e qualquer escalador vai saber que você está falando de um sistema de segurança/rapel tubular. É tão popularmente usado que o seu nome praticamente tomou conta de todo um gênero. O primeiro ATC (Air Traffic Controller) foi originalmente lançado em 1993. Este freio assistido estilo tubular, adicionou a habilidade de dar segue ao participante fora da ancoragem. Isso aumentou a versatilidade e tornou o ATC – Guide parte integrante do baudrier de qualquer escalador de vias tradicionais quando foi lançado em 2005.

Devido ao sucesso do design original, tem havido muito poucas mudanças, a não ser perder alguns gramas em 2009. Existem vários concorrentes, mas o ATC – Guide lidera na categoria performance e durabilidade. Os escaladores que entrevistamos preferem este modelo por ser robusto, pela sua durabilidade e por alimentar cordas facilmente. Os testes que fizemos com os freios mais populares do mercado mostraram que a versão da Black Diamond tinha mais “mordida” na corda e era mais fácil de baixar um segue quando dando segurança de cima.