A Escalada em rocha vai perder lugar para os ratos de ginásio?

Por: Gregory Thomas (tradução livre)

Os melhores escaladores dessa geração construíram sua técnica escalando em ginásios. Agora eles estão experimentando Paredões.

Quatro anos atrás, Reinhold Messner tentou persuadir sua convidada num jantar, Sasha DiGiulian, escaladora profissional,  então com 19 anos à experimentar a escalada em rocha. Ele pegou uma caneta do bolso, virou o cardápio de vinhos e então começou a desenhar uma montanha nas Dolomitas Italianas, que ele escalou quando era mais jovem. Os dois haviam apenas se conhecido, eles estavam em Salt Lake City para participar da entrega de prêmios no evento anual da indústria de equipamento de escalada “Outdoor Retailer”, e Messner acreditava que alguém com a técnica de DiGiulian estava perdendo seu talento escalando em madeira e resina.

“Sasha esta no caminho de se transformar na escaladora guia do novo século” Comenta Messner. “Então ela deveria saber disso”.

No entanto, DiGiulian, agora 23, já havia escalado em rocha antes, mas o foco dela era dominar o circuito mundial de Bouldering, que acontece praticamente 100% indoor. Ela se consagrou campeã mundial em 2011 e ela ganhou três títulos nacionais entre 2010 e 2012.

FInalmente em 2013, DiGiulian foi a Itália e mandou a primeira ascensão (FA) feminino da via #Bellavista graduada em 5.14b (um 11a brasileiro), seu primeiro grande feito na Escalada em Rocha.

“Eu percebi que o que eu realmente quero fazer no esporte não é gastar todo meu tempo no ginásio.” Comenta DiGiulian. “Lá fora, não há limites do quanto você pode ser bem sucedido.

Desde que desistiu da competição indoor em 2013, DiGiulian tem mantido seu olhar em novos horizontes. Em Janeiro de 2015, ela usou machadinhas de gelo selvagens na competição de escalada mista “Ouray Ice Festival”, após apredner a técnica em apenas 10 dias. No ultimo Agosto, ela participou por três semanas do ataque a face norte  da Eiger e se tornou a primeira montanhista americana a escalar aquela montanha pela via #Magic Mushroom, 5.13a (9b Brasileiro).

Que DiGiulian encontraria o sucesso pos competição, ao ar livre, não seria nenhuma surpresa para os alpnistas experientes – A forte fundação das competições traduz-se bem no mundo real na rocha. Apenas pergunte a Emily Harrington, do Lago Tahoe, Califórnia. No ano passado, o antigo campeão de escalada esportiva, de 29 anos, escalou em livre o #El Capitan em Yosemite. Antes disso ela fez tentativas fortes porém sem sucesso ao cume da montanha mais alta de Myanmar para descer o Makalu, a quinta montanha mais alta do mundo, nos ceus. “O desáfio está saindo do mundo da competição e decidindo que ela quer ser uma escaladora para a vida”, Disse Harrington.

“Para os garotos que estão surgindo um 9b e a base” Diz Peter Mortimer. “Quando eu iniciei, um 9b significaria que você estaria nas capas das revistas”.

Essa transição – ou transformação – dos patrocinadores de competidores profissionals, refletiu na evolução mais ampla de escalada nos EUA a partir de uma atividade marginal para o esporte de competição direta. A Escalada explodiu em popularidade na última década: O Número de academias de escalada indoor tem aumentado constantemente  (até 68% desde 2010), e a participação em competições juvenis aumentou (até 144%). a Escalada goza de ampla exposição da mídia social, e foi ainda nomeada para os Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio.

“Você pode viver na Flórida ou Kansas, lugares onde não há rocha alguma para escalar e ainda tornar-se um escalador de classe mundial” Diz Lynn Hill, uma lenda de Yosemite, que deixou sua marca na década de 1970 e 1980. “Quando as pessoas da minha geração foram chegando não havia celebração do esporte como há hoje em dia”.

Durante décadas, o esporte era mais religião do que esforço atlético; experiência foi duramente conquistada no granito. Hoje, é mais provável que você encontre esse tipo de devoção canalizada nas vias criadas pelos homens e vias de escalada codificadas por cores em sua academia local. As vantagens desse tipo de centros de treinamento são claros: Agarras de Resina e Fingerboards para construir a resistência nas pegadas e você podera manter o treinamento durante o ano inteiro, com apenas algumas peças básicas. A Curva de aprendizado caiu e a nova geração esta pronta para empurrar rapidamente o esporte para frente.

“A Academia se tornou terreno fértil para novos grandes escaladores” diz Peter Mortimer, fundador da produtora de escalada House Sender Films, conhecido por documentarios de escalada intensos como “Alone on the Wall” e “Uprising Valley”.

Pegue por exemplo a garota de 14 anos Manhattanite Ashima Shiraishi, ela e ou a escaladora mais forte do mundo ou esta a caminho de se tornar. Embora ela tenha construído boa parte de sua história em ginásios, no ano passado ela se tornou a primeira mulher a mandar um 5.15a (12a Brasileiro), e mais cedo neste mês ela se tornou na pessoa mais jovem e a primeira mulher a mandar um V15. O Fato de ela ter sido capaz de completar essas acsensões assustadoras e inteiramente devido ao seu treinamento.

A academia não é apenas para crianças e iniciantes, também um meio vital para alpinistas envelhecerem com vigor físico. “As lendas que destruíram no seu tempo agora são ratos de academia” diz Cedar Wright, um subproduto de Yosemite que hoje passa boa parte das suas horas na academia malhando Boulder.

Enquanto treinar Indoor irá impulsionar a escalada em rocha, escalar em rocha torna o escalador levemente mais fraco na resina. Na rocha, atletas não tem a habilidade de fazer tantos movimentos e repetições dos movimentos mais difíceis. “ir para a rocha e quase um atrás se você quer ser um escalador de ponta em ginásio. Diz Tommy Caldwell, que fez a ascenção em livre da parede Dawn Wall no El Capitan, no ano passado com Kevin Jorgeson – Tendo aperfeiçoado alguns dos movimentos que eles precisariam executar com precisão, em um ginásio de escalada.

Enquanto escalada esportiva em ginásio é uma boa preparação, não é nenhuma garantia de sucesso imediato na Rocha. No ginásio, Harrington costumava mandar todas as vias que entrava. Então ela tentou Escalada no Gelo, Tradicional e montanhismo. “No inicio foi desestimulante”, comenta ela. “Mas agora eu quero ir as montanhas e voltar destruída, porque é quando eu aprendo”.

Este ano ambas pretendem continuar empurrando-se. Ambas descobriram o que muitos escaladores já haviam percebido antes – que enquanto Ginásio o torna um atleta, a Rocha é que forja os Escaladores de verdade.

“Quem sabe se eventualmente a beleza da natureza das ervas daninhas e das borboletas entra na sua alma e muda você” Diz Wright.

Publicado na revista Outside Magazine de abril de 2016.

 

10 coisas essencias para a escalada esportiva

Por Matt Samet em Climbing.com

Se agilize e não esqueca da comida de cachorro

Se você é um dinossauro c

 

omo eu, provavelmente se lembrará de ter sido ensinado, após a introdução à escalada e ao montanhismo, a importância dos 10 mandamentos. Enquanto estes itens (mapa, bussola, comida, água…) são importantes para uma viagem segura nas montanhas, como sempre foram, A escalada esportiva moderna ainda tem que ver a criação da sua própria lista. Aqui esta minha sugestão, sem nenhuma ordem particular:

1. GriGri. Ainda travando o colega com um oito ou atc? Adira ao GriGri da Petzl, uma verdadeira dádiva de Deus para escaladores eportivos. Não apenas faz auto resgate como também se tornou muito mais dificil deixar um escalador cair, tambem lhe permite ficar com as mãos livres quando o escalador esta descansando.

  1. Luvas, Cordas são sujas, e manusear a corda pode queimar sua mão com uma leve camada a ponto de prejudicar potencialmente sua tentativa de cadena. A menos que você se mantenha limpando a corda entre uma sessão e outra de escalada, use luvas para proteger suas preciosas mãos.

  2. Agua, muitos escaladores negligenciam a hidratação apropriada durante o dia, uma pratica ruim que pode levar a redução da performance, fadiga muscular e lesão nos tendões. Beba agua regularmente e se certifique que sua urina esta clara (não alaranjado como o sol) para uma boa hidratação;

  3. Comida, Claro, você pode ficar faminto durante o dia e sentir-se mais leve sobre os pés, mas em um dado momento, a novela da baixa quantidade de açucar no sangue vai entrar em ação. Todo mundo tem sua própria opnião sobre comida de montanha. Evite comidas adocicadas e tudo que você achar dificil de digerir para evitar o inchaço da barriga e a tensão corporal.

  4. Roupa Extra, Você provavelmente não vai congelar até a morte na maioria dos picos de escalada, onde o carro raramente esta longe. No entanto, é uma boa ideia se manter aquecido, especialmente quando dando segurança, de forma que seus musculos estejam ageis e soltos. Pessoas modernas em relação a moda usam jaquetas, enquanto a maioria dos escaladores conscientes optam por marcas que aqueçam mais.

  5. Celulares, São abundantes os Depoimentos de quão importantes e úteis são esses equipamentos em situações de crise. Eles também podem ser usados para pegar betas de vias. Não se esqueça de deixar a campainha desligada na montanha!

  6. Um Cachorro Grande, Na verdade eles não são tao essenciais assim, mas o povo adora levalo-los para escalar de qualquer forma. Qual o problema com isso?

  7. Proteção para o Joelho, Um mal necessário, proteções para os joelhos e parte da bagagem de truques de qualquer escalador esperto. A maioria das calças especificas para escalada já vem com proteção para joelhos costuradas na própria calça, um tecido mais grosso e resistente na frente do joelho que pode ajudar em momentos de aderência.

  8. Kit de Primeiros Socorros, Tenha todos os itens de emergência necessários, mais um protetor de pele. Como diz meu amigo Jean, um escalador duro-de-matar, uma vez disse, se as costas das minhas mãos enconstam a rocha não estou escalando! No entanto a maioria das vias esportivas não requerem o uso de luvas, fitas sobre uma leve camada de polvedine ajudam a segurar o tendao e a recuperar a pele. Uma lixa de unhas e um conjunto de cortadores de unha também são importantes.

  9. Clip-Stick, O potencial de uso excessivo quando se tem um e comum. Aguns acham uteis para primeiras ancoragens altas, enquanto outros acham uteis para escalar vias acima do seu grau. A escolha e sua.

Encontro de Escaladores do Nordeste

O Encontro de Escaladores do Nordeste, mais conhecido como EENE, teve sua semente plantada ainda em 1999 e a cada ano vem se fortalecendo, assista a essa edição do Papo de Montanha do CEB, com o Claudionor Cavalcante, Clodoaldo Dante, Edervan Menger entre outros.

Veja abaixo um pouco da história contada por Claudionor no Papo de Montanha:

Em 2015, a edição ocorreu em Quixadá

 

Já em 2016, o Encontro realizou-se em Santana do Ipanema/AL, local que ficou mundialmente conhecido por causa do Red Bull Psicobloc Brasil, , e a região foi abraçada pelos escaladores do Nordeste que fizeram um esforço enorme e prepararam a cidade para receber o encontro, abrindo mais de 80 vias de escalada em apenas um ano.

Em 2017, foi a vez de Brejo da Madre de Deus, que já havia recebido o encontro em 2012, agora com uma maior infra-estrutura e considerado um “pico” consolidado de escalada, contando inclusive com a maior via de escalada de Pernambuco, a Sublimação Direta com seus 470m. Brejo é um lugar completo, tem praticamente todo estilo de escalada e algumas linhas bem interessantes de Highline. Esse encontro contou com mais uma edição do fantástico festival de tradicional, onde os escaladores tinham das 06 horas da manhã as 18horas para escalarem o maior número de vias possíveis, cada uma com uma pontuação específica, muita escalada marcou esse encontro!

Agora em 2018, a casa do EENE é Patu/RN, um pico bem recente no cenário da escalada que rapidamente se transformou na casa das vias tradicionais do RN, contando hoje com algumas das maiores vias de escalada do Nordeste, destacando-se a Morada dos Deuses com seus imponentes 720 m e a Via Crucis com 530 m, há ainda diversos projetos de vias tradicionais em progresso, daqui até o encontro certamente deveremos ter pelo menos uma dezena de vias na casa dos 450 a 700 metros.

Maiores informações acompanhe o site do Encontro