Como montar uma ancoragem no gelo a prova de bomba

Publicado originalmente em climbing.com por Ian Nicholson (tradução livre)

Ancoragens no gelo normalmente envolvem duas peças de proteção, ao invés de três peças como normalmente acontece na escalada em rocha, porque no gelo duro e resistente, duas peças são suficientemente resistentes. Além do que duas proteções gastam menos tempo e ajudam-lhe a mover-se mais rapidamente nesse meio ambiente extremamente frio. Por causa desse padrão, entusiastas do gelo precisam ser bem específicos sobre a estrutura da ancoragem, particularmente o angulo das ancoragens de gelo tanto quanto na orientação dessas peças em relação uma a outra. Construindo a ancoragem nessa configuração especifica não tomam um tempo extra, mas vai maximizar a força dessa ancoragem simples.

Em Primeiro Lugar

Depois de localizar onde vai fazer a sua ancoragem, inspecione visualmente o gelo para ter certeza que é tão sólida quanto o possível. O gelo deve ser transparente ou ligeiramente azul. Se é sólido e branco, então o gelo é podre. Obviamente, rachaduras e água corrente (até a água correr atrás de gelo fino) são ruins. Evite construir a sua ancoragem em protuberâncias onde o gelo tem curvaturas para fora e é menos resistente. Em vez disso, apontar para depressões e concavidades onde o gelo tem curvaturas para dentro, que normalmente será mais sólida por causa da força e apoio do gelo ao redor.

Posicionamento dos grampos no gelo

Primeiro, os grampos de gelo devem ser de pelo menos 12″, no entanto os indicados são de 18″ a 24″, especialmente se o gelo é suspeito. Se o gelo tem fraturas, o maior distanciamento vai reduzir a chance que ambas proteções vão ser afetas pelas mesmas fraturas. Quando colocando esses grampos de gelo, distancie-os de forma vertical, de forma a manter de 15 a 25 cm (figura 1). Eles podem até estar perfeitamente alinhadas, desde que estejam distanciadas. Isso faz duas coisas. Reduz o vetor força nos grampos. De forma simples, quanto menor o angulo entre os dois grampos, menor será a força aplicada a cada um e a distribuição das forças será mais igualitária. A segunda razão é que o gelo tende a fraturar horizontalmente e não na vertical. Então, se o gelo se quebrar, tendo ambos os grampos em um plano horizontal pode ser uma má notícia. Equalize essas peças com um cordelete ou fita, da mesma forma como na escalada em rocha.

Angulação do Grampo de Gelo

Ao contrário do que você deve estar pensando, o melhor angulo para grampos de gelos é levemente inclinado para cima, significando que a proteção vai estar levemente inclinada. Esse método não intuitivo é melhor porque a resistência vem do grampo em si e não do efeito “neve de piquete”, significando que você não pode obter qualquer vantagem mecânica tendo o eixo do parafuso alavancado contra o gelo (fig. 2). Essa ação de alavanca é realmente ruim para o poder de dissipação geral do parafuso, porque quando um parafuso de gelo falhar, é porque o gelo perto da superfície logo abaixo da proteção falhou. Quando o gelo na superfície cede, o veio fica exposto e apenas acrescenta mais torque, que fará com que o gelo a deteriorar-se. Eventualmente, com força suficiente, a falha total ocorre. Coloque grampos de gelo em um angulo de 5 º a 10 º de ângulo para cima. Mais do que 10 º é muito, porque ele vai alavancar o parafuso. Apontando o parafuso ligeiramente para cima mantém o parafuso mais de acordo com a carga, minimizando o torque, e permite que a estrutura toda faça seu trabalho.