Uma queda de Fator 2

Digamos que eu estou usando uma corda que tem resistência máxima a impactos de 8.6kN, e o guia leva uma queda grande quase fator 2. A força no segue para segurar a queda será menor do que no guia porque a fricção no mosquetão através da qual a corda esta presa. Quão menos? se for 50% a menos que a força no mosquetão é 8.6 + 4.3 = 12.9 kN, muito menos que a resistência de um mosquetão fechado e também muito menos que a resistência de uma costura. Essa análise esta correta? Steve Pomerance através da Rockandice.com

Se você realmente quiser saber, leia o Richard Goldstone e a equação de força de impacto baseado nos cálculos de Richard M. Leonard e Arnold Wexler, no report do Clube Sierra de 1946 sobre dar segue a um guia. Chame sua filha caçula para lhe explicar equações de segundo grau e preste atenção.

Mas você perguntou e eu preciso responder.

Primeiro, se você levar uma queda de Fator 2 você não terá um mosquetão no sistema pois você só poderá levar uma queda dessas se estiver caindo diretamente no segue sem nenhuma costura entre vocês dois. Com 10 metros de corda você leva uma queda de 20 metros antes que a corda se estique. Você só pode levar uma queda de fator 2 em vias com múltiplas cordadas em trechos sem proteção. Se a via tem proteções (e se for boa) você não leva um fator 2. Claro, se você cair em uma via de cordada simples e não tiver proteções você vai cair no chão. Eu chamo isso de queda Fator 3.

Mas você disse “quase fator 2”. Eu acredito que você estará falando de situações como os testes da CE e UIAA para certificação das cordas, onde se chegam a fatores de queda como 1,77. Se você estiver fazendo um teste desses, o impacto será tão grande que você poderá passar o resto da vida usando fraldas e sem se preocupar mais com forças e pressões em mosquetões.

Na sua questão, você considerou na hipótese se a força seria reduzida pela metade devido ao atrito com o mosquetão. Na Planeta Terra, o atrito com o mosquetão realmente absorverá força, no entanto é desconhecido o quanto, exceto em modelos matemáticos. A Melhor estimativa é que a fricção reduz a carga em torno de 1/3.

Sabemos por experiência prática que o atrito no mosquetão é real, pois um escalador de 70 kg consegue segurar a queda de outro escalador com 90 kg e o segue não será arrancado do chão pelo impacto. Sua suposição, que mesmo o pior caso de queda não é possível forçar um mosquetão a ponto de quebra-lo, é como a teoria dos nós da evolução, e esta correta. Normas da CE exigem uma resistência mínima a ruptura de 20 kN ao longo do eixo principal de um mosquetão. Mesmo com a multiplicação da força na ancoragem você jamais vai conseguir atingir esta elevada carga capaz de leva-lo a ruptura.

Não ligue para a sua seguradora e cancele seu seguro de vida, pois um mosquetão danificado assim como muitos casamentos, podem quebrar. Uma carga cruzada ou um gancho no mosquetão e pode vir a ruptura mesmo abaixo das cargas previstas pela CE com o mosquetão aberto de 7 kN. Já tivemos um acidente relatado onde nos foi informado que houve quebra de não apenas um, mas dois mosquetões em uma só queda.

Apesar da notícia ruim, nós podemos relatar que uma vez tomamos uma queda de fator 2.1, uma queda de aproximadamente 51 metros em 25 metros de corda, que é possível se você se esforçar para fazer as coisas erradas. A corda praticamente se desfez em pedaços (conforme a foto deste artigo), mas o mosquetão único sem trava segurou a queda, embora tenha se empenado.